BIKELOKO

Saiba Tudo Sobre o Mountain Bike

Com o aumento da prática do Ciclismo de Mountain Bike (MTB ou ainda ciclismo off-road), nos últimos anos, fica a dúvida de onde surgiu esse esporte. E é a partir daí que iniciamos esse artigo.

Surgido na Califórnia em meados da década de 70, norte-americanos adaptaram as provas de realização em estradas para as montanhas em busca de uma experiência inovadora.

O primeiro campeonato nacional foi realizado em 1983. Posteriormente, com o crescimento e a grande divulgação em diversos países europeus, na Austrália e no próprio Estados Unidos ocorreu o primeiro Mundial, com organização da União Ciclista Internacional (UCI) em 1990.

Assim, não demorou muito para que houvesse a inclusão da modalidade nos Jogos Olímpicos, que teve sua inauguração em Atlanta (1996).

mountain bikeEssa categoria possui um incremento que é a combinação do exercício físico com paisagens sensacionais fora uma aproximação tão extensa com a natureza.

Esses fatores são praticamente fundamentais para explicar a grande procura pelo esporte, que atende um vasto conjunto de habilidades e estilos.

Isso porque abrange desde ciclistas ocasionais que fazem trilhas com a família em florestas como até mesmo aqueles que buscam competir em provas mais desafiadoras com descidas perigosas ou provas com diversas manobras.

Mas seja qual for o seu estilo dentro do MTB, é preciso de um material correto que possibilite uma prática agradável e confortável.

Por isso, a indústria é ampla com empresas que às vezes surgem e desaparecem, mas que não deixam de contribuir para que o mercado esteja sempre renovado e mais qualificado, com produtos aperfeiçoados e também favorecendo o consumidor para que tenha sempre acesso aos melhores equipamentos que, consequentemente, trazem bom desempenho em suas competições ou em seu passeio.

mountain bikeVale lembrar que isso é importante, pois o ciclismo é um esporte que preza pela saúde e a qualidade de vida. Sentir-se desconfortável, ou possíveis dores, quando estiver pedalando pode ser um sinal de que você está fazendo algo errado.

Seja o selim, ou o guidão, mal posicionado, roupas desconfortáveis ou a falta de água e alimentos, qualquer imprecisão na sua bike ou em seus equipamentos podem gerar incomodo e atrapalhar seu rendimento e sua satisfação.

Por isso, vamos descrever algumas instruções para garantir sua prática totalmente segura do ciclismo Mountain Bike, principalmente, para os iniciantes do esporte. CONFIRA!

E aí vem a pergunta: como me equipar da melhor forma? Bem, daremos algumas instruções sobre o equipamento básico do Mountain Bike. Começando pela:

  • Sapatilha

sapatilhaOs tênis são fundamentais para variados esportes fornecendo conforto e melhores desempenhos, isso quando se utilizam os corretos para cada esporte.

É o que acontece com essa modalidade que possui sapatos que a atendem de forma exclusiva.

Suas muitas características e componentes diferentes fazem as sapatilhas se diferenciarem dos demais tênis.

Um fator é que elas são extremamente leves e projetadas especialmente para pedalar, não necessitando de amortecedores como os tênis de basquete ou corrida. Além disso, a leveza poupa sua energia.

As solas são constituídas por polímeros de carbono que potencializam a transferência de energia de seus músculos para o pedal.

As mais modernas são arcadas para que os pés se mantenham na posição ideal. Ainda, alguns possuem cravos (parecidos com traves de futebol) para que haja maior fixação ao pedal, uma vez que, o fato de algumas vezes os pés escorregarem ser um problema.

As mais modernas vêm também com cravos e presilhas destacáveis, que possibilitam um melhor encaixe dos pés dos ciclistas aos pedais.

Com os pés bem equipados, temos que pensar na proteção das mãos!

  • Luvas

LuvasElas servem para importantes e diversificadas funções. Reduzem a formação de bolhas, melhoram a pegada no guidão, conservam os dedos aquecidos ao longo do inverno, retém choques e colisões e ainda servem como proteção em caso de acidente.

Existem três tipos clássicos de luvas para MTB, estes são: as de dedo inteiro, meio dedo e luvas de três dedos (ou chamados de pogies).

As luvas de dedo inteiro atendem mais aos ciclistas regulares e corredores profissionais, sendo suas preferidas. Podem ser feitas tanto de material à prova d’água como couro e servem ao longo de toda a temporada.

Em algumas modalidades, como freeriding e downhill, são usadas essas luvas com um estofamento a mais para proteger contra impactos e possíveis acidentes.

As de meio dedo são usais e excelentes para passeios curtos e trilhas quando o tempo estiver quente. Feitas de couro absorvem bem o suor e permitem a respiração dos dedos. Elas são duráveis e leves.

As pogies são uma opção interessante para ciclistas que pedalam no outono e inverno, mantendo os dedos aquecidos.

Elas têm um local para o dedo mindinho e o anular, outro para o dedo médio e o indicador, e um terceiro para o polegar. São também a prova d’água e devem estar fixas diretamente no guidão.

Há uma grande variedade de luvas com diferentes estofamentos e algumas com gel que reduzem a gravidade de algumas situações como dores nas mãos causadas por trancos e stress prolongado associados ao mountain bike.

Agora vem uma pergunta a mente: e aqueles shorts que os ciclistas costumam usar? Vamos entender melhor sobre eles.

  • Roupas

roupaÉ claro que a função dos shorts e bermudas é de grande importância para os ciclistas. Isso porque as bermudas, que são constituídas por poliéster sintético, servem como uma segunda pele e esse material mantém a umidade longe da pele deixando o corpo resfriado durante longas trilhas.

Outro papel importante é que elas protegem as partes íntimas, uma vez que, durante passeios e trilhas longas, essas partes ficam um bom tempo coladas no assento do banco.

O revestimento interno especial de bermudas e shorts exclusivamente de ciclismo é projetado para reduzir o atrito nessas áreas.

Um detalhe importante é que ciclistas que usam esse tipo de vestimenta não devem usar cueca, já que ao atraírem a umidade podem causar assaduras.

Na estrada, costumam serem usadas bermudas mais apertadas para cortar a resistência do ar.

Em trilhas com tempo quente é indicado o uso de shorts feitos de um material de poliéster leve que evite a penetração da umidade e com zíperes na frente.

Já se for pedalar no inverno, é essencial bermudas com camadas bem reforçadas, buscando uma que fique próxima a pele, outra isolante e por último uma camada a prova d’água.

Então você me pergunta: e se eu for competir? Com certeza será preciso equipamentos de maior proteção.

  • Armaduras

downhillNas modalidades downhill e freeriding você não pode ficar sem item de forma alguma.

Enquanto o downhill refere-se a vencer um percurso cheio de quedas, saltos e terreno nem um pouco amigável com o menor tempo possível, o freeriding liga-se mais ao estilo do que à velocidade.

Esse pesado material utilizado nas categorias extremas de mountain bike, que podem causar ferimentos graves, é conhecido como armadura.

E é essa armadura que faz diferença se um competidor é capaz de sair andando ou totalmente debilitado após uma queda.

Além disso, é importantíssimo investir em um protetor de coluna, que se trata de uma placa de plástico rígido posta na extensão das costas protegendo contrachoques na coluna vertebral.

Os protetores de pescoço protegem também protegem contra pancadas nessa região.

O restante da parte superior aconselha-se a compra de jaquetas especiais constituídas com cotoveleiras, ombreiras e almofadas nos antebraços.

Já para parte inferior é necessário calças, joelheiras e também um protetor especial para o cóccix.

Por fim, temos que falar das bicicletas utilizadas nessa modalidade.

  • Bikes

Elas diferem em diversos aspectos das bicicletas de estradas, visto que são usados pneus mais largos e cardados, que absorvem os impactos com maior eficiência, são também resistentes, fornecendo maior aderência nos terrenos cobertos de lama e maior controle e tração da bike em locais acidentados, na lama e areia.

Seus tamanhos mais comuns são 1.8-2.2 para o XC, 2.0 a 2.4 para Freeriding, Enduro e Downhill.

Usam amortecedores, que podem ser na frente, atrás ou em ambos, que ficou conhecida como Full Suspension, projetada para fornecer maior conforto e, por consequência, reduzir impactos permitindo maior controle do ciclista.

Seus quadros são mais resistentes e reforçados, principalmente nas modalidades que abarcam quedas e saltos de grandes alturas.

Os aros costumam ter parede dupla, com reforços e pesos que os de ciclismo de estrada, a fim de evitar deformação nas ultrapassagens de obstáculos.

No início, as relações das marchas eram mais leves e maiores que as de estrada, porém com maior precisão. Já hoje, a marcha varia de 18 a 21 em bikes básicas e 11 a 33 nas mais modernas.

mountain bikeBem, agora depois de todas essas informações cremos que você está por dentro no mundo do mountain bike.

É claro que há muito que explorar ainda, e que isso será incorporado ao iniciar a prática dessa atividade.

Curtiu a postagem? Então se lembre de compartilhar com seus amigos para marcarem a próxima pedalada.

Esquecemos de alguma informação ou você tem alguma experiência para nos contar sobre o Mountain Bike? Não se esqueça de deixar seu comentário a baixo.

Se você gostou deste artigo, acompanhe nossas dicas no www.bikeloko.com.br/dicas.

Leia Também:

3 comentários sobre “Saiba Tudo Sobre o Mountain Bike

  1. Sônia Alves

    Tenho 57 anos, iniciante, procurando recurso diante de DIABETE 2 que faz parte de minha vida. Já tive câncer de mama há 8 anos. Esse esporte será uma tentativa para que eu faça exercícios físicos. Sou extramente sedentária. QUERO VIVER UM POUCO MAIS. Adorei as informações.

  2. bikeloko Autor da Postagem

    Olá Sônia, tudo bem?
    Ficamos feliz por ter contribuído com informações úteis. Nunca é tarde para melhorar e buscar uma vida mais saudável e o ciclismo realmente poderá te ajudar muito nisso. Além de ajudar no físico vai te fortalecer no mental também. Conte conosco!!! Abraço!!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *